sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Governador autoriza abertura de 118 vagas na CPTM


Fonte: CPTM

O Governador autorizou a realização de concurso para contratação de 118 empregados para áreas de Manutenção e Operação da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Há vagas para pessoas com nível de escolaridade fundamental, médio e técnico. O edital da seleção já está disponível no site http://www.cptm.sp.gov.br/a-companhia/concursos/Pages/Edital-abertura.aspx​. As inscrições poderão ser feitas entre os dias 28 de julho e 18 de agosto. O salário inicial varia de R$ 1.802,90 a R$ 4.037,71. ​
O edital do concurso prevê oito vagas mais cadastro de reserva. Porém, a CPTM contratará os 118 empregados aprovados distribuídos nas seguintes funções:  

Cargo​Número de vagas
Agente de conservação de via​​5
​Agente de manutenção civil​4
​Agente de manutenção metalúrgico​3
​Agente de serviços de operação89​
​Oficial de manutenção elétrica (eletricista)9​
​Oficial de manutenção mecânica (mecânico)7​
​Técnico de Manutenção, Projetos e Obras (modalidade: edificações ou construção civil)​1

Os candidatos aprovados deverão ter disponibilidade para trabalhar em qualquer local e nos postos para os quais forem designados, que pertencem ao Sistema de Trens Metropolitanos de São Paulo. A CPTM atende 22 munícipios, incluindo a capital paulista, e, a partir da entrega da Linha 13-jade, prevista para 2018, também atenderá Guarulhos, o segundo maior munícipio do Estado.
 
A RBO Concursos será a organizadora do certame, que compreenderá provas objetivas, testes práticos, aptidão física e/ou avaliação psicológica. No caso das provas prática, física e psicológica já está delimitado que serão chamados cinco candidatos por vaga para estas fases.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

CPTM aposenta mais duas frotas


Por Diego Silva

Diante da necessária renovação de seus trens, no mês de junho passado, a CPTM resolveu por meio de seus departamentos encerrar a circulação de mais duas frotas, sendo elas as série 1400 e 1600. Vale lembrar que estas eram duas das mais antigas frotas em circulação em São Paulo. Nos últimos sete anos, nada menos que 117 trens novos entraram em operação, com equipamentos de última geração, tornando ainda mais obsoletos os antigos trens que ainda circulavam.

A série 1400, fabricada em 1974, contava ainda com quatro composições em operação, sendo elas: 1401/1402 e 1409/1412 (estas com seis carros, circulando na Linha 12-Safira) e as unidades 1403/1404 e 1405/1414 (com quatro carros cada, encerraram suas atividades na extensão da Linha 7-Rubi, entre Francisco Morato e Jundiaí). Adquiridos pela então Estrada de Ferro Santos à Jundiaí num total de 30 trens, atenderam inicialmente as atuais linhas 7-Rubi e 10-Turquesa. Possuíam características como carros longos (25 metros), detalhes frisados nas laterais e cabine de comando no lado direito do carro, conforme padrão Budd de época. Quando do início da administração da CPTM, foram transferidos para as atuais linhas 11-Coral e 12-Safira. Uma curiosidade que é válida de salientar: a unidade 1403/1404 foi desativada no padrão 'original' da CPTM, mantendo predominante o aço inox aparente e apenas as duas faixas nas cores azul e vermelho, que representam a companhia.


A série 1600, fabricada em 1976, resistia na circulação com apenas duas composições, sendo elas: 1601/1612, no padrão metropolitano (azul) e 1602/1613, no padrão atual da CPTM, com a cor vermelha predominante. Ambas possuíam quatro carros e encerraram suas atividades na extensão operacional da Linha 7-Rubi. Havia ainda uma terceira unidade, de numeração 1605/1606, que foi desativada antes e desmanchada no pátio do Ceasa, da Linha 9-Esmeralda. Adquiridos pela então RFFSA, as unidades da série 1600 foram especificadas inicialmente para circular no Rio de Janeiro. Devido à problemas técnicos, acabaram sendo enviados para São Paulo, onde encontraram melhores condições operacionais e logo foram incorporadas na circulação das atuais linhas 7-Rubi, 10-Turquesa, 11-Coral e 12-Safira.

Com a desativação dessas unidades, a CPTM dá mais um passo para a renovação de seu material rodante. As mudanças começaram com o encerramento da frota 4800 (trens japoneses de bitola métrica que circulavam na extensão da Linha 8), posteriormente a série 5500, seguido dos trens franceses da série 5000 (salvo as unidades que haviam sido revisadas em 1999/2000, no padrão metropolitano, que foram remobilizados e hoje atuam na extensão operacional da Linha 8-Diamante, entre Itapevi e Amador Bueno, renumeradas como série 5400). Houve o corte de dois trens da série 1700, que não tinham mais condições de circulação, além do acima citado 1605/1606.

1623 e 1408 no Brás, no início dos anos 2000: fim da linha para as duas séries

Siga o blog por email

Seguidores